Descrição do Projeto

Rastreie seu Pescado

Digite abaixo o código do seu pescado para saber mais detalhes sobre sua procedência.

Como consigo este código?

Aqui Pescamos

 Imagem Nome Vulgar Características
 vieira b  Vieira, Coquille de Saint-Jacques, Pata de leão ou Scallops  Nodipecten nodosus

Onde encontrar estes pescados para um consumo consciente?

CONHEÇA OS RESTAURANTES E MERCADOS

Sobre Nós

Em 1996, com o projeto Desenvolvimento Sustentado da Ilha Grande (PNMA/PED), a Prefeitura Municipal de Angra dos Reis – PMAR, instalou 23 criações de mexilhões junto a 33 famílias caiçaras da Ilha Grande, visando propiciar uma alternativa complementar de renda e melhoria da qualidade de vida dos ilhéus. Em 1999, a equipe de maricultura da PMAR, em um trabalho conjunto com técnicos da FIPERJ e o IED-BIG, iniciou um experimento com a vieira Nodipecten nodosus, com vistas a adequar a tecnologia de criação para os maricultores da Ilha Grande e para isso, utilizou sementes obtidas junto ao IED-BIG.

Em 1999 também foi criada a Associação de Maricultores da Baia da Ilha Grande (AMBIG). Desde então, a AMBIG se tornou a entidade representativa dos produtores da região, ganhando reconhecimento e respeito junto aos órgãos de regulação e fomento, graças a uma atuação diligente. Hoje são aproximadamente 11 fazendas marinhas de vieiras na BIG e que estão associadas a AMBIG.

Onde Estamos

As vieiras da Baía da Ilha Grande são orgânicas, e produzidas de forma sustentável (social, ambiental e econômica). O IED-BIG possui um laboratório responsável por produzir e fornecer as formas jovens (sementes) para os produtores locais associados a AMBIG que fazem a engorda, a colheita e a comercialização em sistemas de cultivos de pequena escala. A produção total contabilizada para o ano de 2015 foi de 36.670 dúzias na região.

Atualmente, a Baía da Ilha Grande é o maior pólo produtor da vieira, as quais passaram a ser conhecidas em todo o país, especialmente nos ramos da alta gastronomia e no mercado turístico local.